26 jan Liberdade aos irmãos Prudente

Está marcada para a tarde desta terça-feira, 26 de janeiro, a segunda audiência de instrução e julgamento do processo dos irmãos Luiz Gustavo Prudente de Magalhães, 20 anos, Luiz Felipe Prudente, 22 anos, e Valdeir Prudente de Magalhães, 26 anos, injustamente acusados da prática de roubo a uma joalheria do Resende Shopping.
Arbitrária e ilegalmente presos há mais de 6 meses, em razão de prisões preventivas decretadas pelo Juízo da 2ª Vara Criminal de Resende, através de decisões vagas, abstratas e genéricas, sob a forjada pretensão de garantida da “ordem pública”, os irmãos Prudente continuam no Complexo Penitenciário de Japeri.
Conforme noticiado pelo Jornal Beira Rio no último dia 21, ocorreram ao menos 5 assaltos a joalherias em menos de um ano na cidade de Resende, tendo a polícia, em um primeiro momento, divulgado que os casos tinham relação entre si.
Moradores e familiares dos jovens presos, que afirmam categoricamente que estavam com eles no momento do crime, questionam, então, a razão da não divulgação pela polícia das imagens dos assaltos ocorridos após as prisões dos irmãos. Segundo defendem, as imagens poderiam revelar que os verdadeiros responsáveis pelo roubo do qual são acusados seguem soltos.
O Instituto de Defensores de Direitos Humanos chegou a impetrar um Habeas Corpus em favor dos jovens, mas não obteve êxito. A desembargadora relatora do HC no Tribunal de Justiça entendeu que as prisões foram decretadas corretamente, negou, liminarmente, seguimento à ação, ignorou a interposição do Agravo de Instrumento pelo DDH contra a referida decisão e, em meio à suspensão dos prazos processuais e audiências em janeiro, determinou o arquivamento do feito. O DDH, convicto de que #NãoForamEles, tomará as medidas judiciais cabíveis e levará o caso ao Superior Tribunal de Justiça.
#LiberdadeIrmãosPrudente

Rio de Janeiro, 26 de janeiro de 2016,
Instituto de Defensores de Direitos Humanos

No Comments

Post A Comment